Refracções: Abril 2011

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Introdução à Meditação

Recentemente, eu peguei nos meus apontamentos relativos à meditação, e compilei-os num documento, que deixo aqui disponibilizado para quem os quiser ler, aprender e criticar.


A meditação é na sua base, a capacidade de parar o pensamento, e viver a sua ausência. Em tempos em que as notícias nos assaltam a consciência, e nos carregam os nervos, esta capacidade revela-se de grande importância.


Assim, se os quiseres consultar, tu podes fazer o download do texto em


http://www.mediafire.com/file/q1t17jm17ml8165/meditar.pdf


Obrigado pela tua atenção! Se houver alguma sugestão que queiras fazer, podes deixá-lo em baixo na secção de comentários.


Jeust

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Estação

Pessoas chegam.


Umas apressadas, outras calmas.


Esperam de pé, ou sentadas.


Pousam as suas bagagens. Apegam-se a elas.


O comboio ressoa, os carris estremecem...


Passos aceleram.


Alguns levantam-se, outros apressam-se.


Multidão sai. Multidão entra.


As portas cerram.


O comboio parte.


O rumor esvai.


O silêncio se instala...


Ouvem-se suspiros. O roçar de tecidos.


A trepidação do ferro.


Mãos retesam, pés se inquietam.


Ouve-se o próximo, cada vez mais próximo.


O abalar do destino.



Na vida, nós, procurando chegar onde desejamos chegar, por vezes irremediávelmente nos encontramos estacionados, esperando veículos para nos levar à próxima encenação do nosso destino. Ora aborrecidos pela morosidade das horas, ora nervosos pela rapidez dos segundos, ansiamos o materializar do futuro. Desejamos partir, deixar o presente feito passado, e abraçar o por vir, mas para avançar é preciso estar preparado. Senão espera-se, pelo próximo transporte a chegar.


Jeust