Refracções: Dezembro 2010

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Agora

Gostavas de fugir não gostavas?

Mas não há sitio para onde escapar...

Nem local para te esconderes.

A única coisa que te resta é o inevitável Agora.


Há momentos em que tudo o que procuramos é fugir.

De nós. Dos outros. Do mundo.

Mas por mais que fujamos, e por mais longe que estejamos, não conseguimos fugir do que levamos conosco. Do que nos inunda os nossos próprios tecidos e queremos esquecer.

Há momentos em que tudo o que nos resta, é enfrentar o que nos assusta.




Jeust